COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO – CPA

AUTOAVALIÇÃO INSTITUCIONAL

 

O QUE É A CPA?

 

A CPA (Comissão Própria de Avaliação) é instituída pela Lei dos SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), LEI Nº 10.861/2014, sendo responsável pela implantação e pelo desenvolvimento dos processos de avaliação institucional.

 

QUAIS AS FUNÇÔES DA CPA?

  • Sensibilizar a Comunidade Acadêmica.
  • Realizar a avaliação institucional com toda a comunidade acadêmica
  • Tabular e avaliar o resultado da Avaliação Institucional
  • Divulgar os resultados
  • Acompanhar a implantação das ações

 

O QUE É O SINAES?

 

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior- SINAES, instituído pela Lei No 10.861, de 14 de abril de 2004.

A Autoavaliação Interna da Faculdade pelos segmentos institucionais, visando melhoria da qualidade da educação superior, a orientação da expansão da sua oferta, o aumento permanente da sua eficácia institucional e efetividade acadêmica e social e, especialmente, a promoção do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais.

 

QUEM FAZ?

Alunos, Professores, dirigentes, egressos, colaboradores e comunidade em torno da Faculdade.

 

COMO SE FAZ?

Na proposta a autoavaliação institucional da Faculdade CET está previsto etapas de avaliação que são importantes para propiciar novas ações na instituição. Os mecanismos previstos são:

 

  • Avaliação do professor pelo aluno, realizada semestralmente, buscando analisar a metodologia de ensino do professor, sua sistemática de avaliação da aprendizagem e a interação professor-aluno;

 

Avaliação das condições institucionais pelo discente, onde é verificado a estrutura física ofertada ao discente tais como: biblioteca, salas de aula, laboratório, espaços de convivência, dentre outros;

 

Autoavaliação dos colaboradores com a finalidade de avaliar o programa de qualidade implantado e subsidiar o planejamento posterior.

 

Autoavaliação dos dirigentes: participar da avaliação para fins de tomada de decisão com base nos dados apontados.

 

Avaliação dos egressos: coleta de informações para aprimoramento dos projetos pedagógicos dos cursos de acordo com as necessidades do mundo do trabalho.

 

As estratégias de avaliação favoreceram a compreensão e interpretação das relações formais e informais e obtiveram-se informações valiosas para o aprimoramento de políticas e rotinas institucionais que, possivelmente, vão influir em novos processos de organização e produção, na busca da excelência, técnico, acadêmica e administrativa.

 

O processo de avaliação inscreve-se no contexto das novas tecnologias aplicadas ao planejamento de gestão institucional. Nesse sentido, implantou um programa de qualidade desde 2007, pautado num processo contínuo de planejamento, desenvolvimento de metas e avaliação que contribuem para a consolidação do trabalho acadêmico e para a avaliação institucional. Ressalte-se que o projeto de avaliação institucional da Faculdade de Tecnologia de Teresina CET propôs um processo contínuo de avaliação em todos os seus níveis como meta do Programa de qualidade. O processo contínuo envolve os vários mecanismos já existentes na instituição, quais sejam: avaliação docente, avaliação discente, avaliação de estágio, ouvidoria, acompanhamento de egressos, plano estratégico setorial, relatórios técnicos, acompanhamento do desenvolvimento curricular, controle técnico-acadêmico e administrativo.

 

Além disso, respalda-se no cumprimento de documentos que orientam as políticas e ações institucionais, como o plano de desenvolvimento institucional (PDI), o regimento interno, os projetos pedagógicos dos cursos, projetos de monitoria, projetos de iniciação científica, o plano de responsabilidade social, as diretrizes para orientação e elaboração de trabalho final de curso, o questionário socioeconômico dos alunos e a legislação pertinente.

 

A coleta de informações ocorre através de questionários em sistema online no site da Faculdade, contemplando os aspectos dos núcleos básico ou comum, núcleo de temas optativos e núcleo de documentação, dados e indicadores, definidos no roteiro de autoavaliação institucional do Ministério da Educação, naquilo que se compatibilizava com a realidade local e específica para cada nível hierárquico da instituição.

 

Foram aplicados questionários a gestores, funcionários técnico-administrativos, alunos e egressos. Para gestores e funcionários, foram aplicados questionários em 100% deles. Apesar da proposta de mobilização da comunidade acadêmica em 100% na fase de sensibilização para importância do processo de avaliação institucional, não se atingiu o proposto em razão de diversos fatores pessoais, institucionais e profissionais.

 

A proposta de avaliação contínua cujos instrumentos permanecem abertos no sistema de informática para acesso dos segmentos institucionais permitem criar uma cultura de avaliação como fundamental para a tomada de decisão e possibilita o aperfeiçoamento do planejamento da gestão técnico-acadêmico e administrativo, observando a concorrência de campo de trabalho, tornando visível a qualidade dos seus serviços e a legitimação social como forma de consolidação de sua identidade institucional.

 

PARA QUE SE FAZ?

Os resultados da autoavaliação institucional vão orientar o planejamento da Faculdade para a melhoria das condições de funcionamento e da qualidade do ensino e aprendizagem dos alunos.

 

COMO É PROCESSO DE AUTOAVALIAÇÃO?

  1. Preparação dos Instrumentos;
  2. Sensibilização
  3. Coleta de Dados
  4. Organização e Análise dos Dados
  5. Elaboração do Relatório
  6. Divulgação e Devolutiva dos Resultados
  7. Encaminhamento dos Resultados para a Diretoria como ferramenta de Gestão

 

RESULTADOS ALCANÇADOS PELA CPA

 

  1. Atualização dos Projetos Pedagógicos dos Cursos, acompanhamento semestral dos egressos, motivação da participação dos vários segmentos da Faculdade e de egressos, atualização de instrumentos de controle e avaliação;
  2. Ações de captação de alunos para cursos do Regime de Calendário Acadêmico Semestral;
  3. Implantação de novos cursos, estabelecimento de novas parcerias e convênios com instituições públicas e privadas;
  4. Processo de comunicação mais amplo para dar maior visibilidade à IES;
  5. Implantação da Plataforma do AVA;
  6. Oferta de programas de Nivelamento e Monitoria;
  7. Melhoria da qualidade docente didático-pedagógica;
  8. Melhoria da Revista Eletrônica para publicação da produção científica de docentes, colaboradores e alunos;
  9. Implantação de calendário acadêmico flexível;
  10. Implantação de programa de atendimento aos alunos nos aspectos financeiros e psicopedagógicos;
  11. Renovação do acervo bibliográfico e materiais pedagógicos;
  12. Ampliação da Infraestrutura de Tecnologia da Informação e Comunicação;
  13. Revisão das Portarias de regulamentação das atividades acadêmicas;
  14. Revisão dos manuais de alunos e docentes;
  15. Reimplantação do programa de bolsas para estudantes;
  16. Reimplantação do programa de formação continuada de docentes;
  17. Implantação de cursos de Educação a Distância- EAD;
  18. Reimplantação de programa de Iniciação Científica;
  19. Reativação da Plataforma Moodle para formação continuada de docentes e colaboradores e para melhorar as alternativas de aprendizagem dos alunos;
  20. Contratação de Pedagogo para atuar no apoio acadêmico e de orientação aos alunos e na biblioteca;
  21. Implantação de uma Biblioteca Pedagógica para apoio à formação continuada de docentes e para melhoria da qualidade do trabalho didático-pedagógico dos professores;
  22. Ampliação do acervo bibliográfico com Assinatura de Biblioteca Virtual;
  23. Bolsas-desconto e promoções de captação de alunos;
  24. Reativação de metodologias ativas no processo de ensino e aprendizagem;
  25. Ampliação dos Laboratórios de Ensino;
  26. Implantação de curso de Capacitação docente em nível de pós-graduação lato sensu;
  27. Implantação de capacitação de pessoal técnico-administrativo via presencial e Plataforma Moodle;
  28. Implantação de capacitação continuada docente (capacitação colaborativa) via Plataforma Moodle;
  29. Reativação do Projeto de Monitoria;
  30. Reativação da Revista Científica Eletrônica: Arte, Ciência e Tecnologia;
  31. Reestruturação da cantina quanto a equipamentos, terceirização e implantação de alternativas nutricionais de qualidade.

 

QUANDO É PROCESSO DE AUTOAVALIAÇÃO?

Semestralmente no portal da Faculdade CET. O período de avaliação está previsto no calendário acadêmico.

 

COMO SE FAZ?

Alunos: acessam através da plataforma aluno online com  matrícula  e senha.

 

Dirigentes, egressos colaboradores: É enviado uma senha  para o e-mail pessoal com o link e a senha para responder o questionário.

A Comunidade é representada pelas solicitações  feitas a instituições e pelos membro representante na CPA

 

RELATÓRIO DA CPA DA FACULDADE CET

Ressalte-se que este relatório é um documento do MEC/SINAES/CONAES “Diretrizes para a Avaliação das Instituições de Educação Superior” onde são definidas concepções, princípios, diretrizes e etapas do processo de avaliação institucional e o Roteiro de Autoavaliação Institucional  onde se definem requisitos, dinâmicas, etapas e dimensões da avaliação institucional.